quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

SUPIMPA

Fotografia de Ian Britton

Consta no dicionário que "supimpa" é palavra de origem brasileira, mas como não tenho malapatas contra acordos ortográficos assinados há quase duas décadas, e os purismos da língua em constante mutação também têm pouco significado no léxico que uso habitualmente, vou descrever alguns que utilizo à "tripa forra" (hummm... esta fica para outra postagem!), com ou sem entradas no calhamaço do século passado:

Berbicacho - dificuldade, embaraço
Bué - muito
Buereré - mais que muito
Chatice - é uma chatice, mas este berbicacho até consta no dito
Epá - que surpresa, pá!
Estucha - chatice (descrito no dicionário como excelente ou estupendo?)
Fartazana - à farta
Fuzué - barulheira, conflito
Giro - Brad Pitt
Mainada - contracção de "mais nada"
Malapata - azarito
Nananinaná - nada disso
- camarada, companheiro, amigo
Quiproquó - engano, equívoco, confusão de palavras (não digam que não avisei!)
Supimpa - muito bom, excelente
Tripa forra - à brava (acho?!)
Xi - credo!

Já o Eça dizia que se algumas palavras não figuravam no dicionário iriam passar a figurar. E com tanto português mal escrito que se lê por aí, em livros (traduções e revisões, mal feitas?), jornais, revistas, blogues, etc. e tal, para que serve tanto fundamentalismo linguístico?!

Escrever ou falar são formas de comunicar! O como é irrelevante, desde que as mensagens sejam compreendidas...

Um dia SUPIMPA para todos!

29 comentários:

  1. Um dia buereré supimpa, pá!

    ResponderEliminar
  2. Esqueceste-te duma:

    Podre de boa: Nicole Kidman (mesmo com os mais recentes aditivos químicos)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  3. RODERICK: Buereré de supimpa para ti também, pá! :D

    Tens razão, RAFEIRITO, esqueci-me do podre!
    Nicole?! Quem é essa (com ou sem aditivos)?
    Beijocas!

    ResponderEliminar
  4. Um dia bué de fixe....ahahahahah

    Com este solzinho até já apetece ficar de bom humor...

    Mas neste assunto o que eu acho é que juntar palavras ao dicionário concordo, agora alterar só porque em outros países se diz de outra forma......isso aí "alto e paira o baile".
    Afinal Português não vem de Portugal?????
    Neste andamento qualquer dia vão suprimir o 10 de Junho dos feriados nacionais, pois a lingua de Camões já não existe.....e isso é o que mais me chateia.....ahahahahah,......menos um feriado.....hihihihih

    Beijokitas linda

    ResponderEliminar
  5. E esta Teté? Que espiga! Expressão à moda de Viana, que é a minha terra e corresponde a berbicacho.

    Beijinho
    Isabel

    ResponderEliminar
  6. Bem pois, um post muito giro pá, digo mais, buereré... Tudo isto en galego passaría a ser: CARALLUDO!
    Abraço

    ResponderEliminar
  7. gostei deste post! está muito Brad Pitt!

    ResponderEliminar
  8. "dar de frosques" de fininho, não antes de te deixar um beijinho!

    ResponderEliminar
  9. Sabes que sou mais de giraço (o Clooney), mas já tomo nota de tudo (posso copiar e colar para o cérebro?), que destas coisas é que eu gosto e mainada.

    Beijokita

    ResponderEliminar
  10. Ora nem mais. desde que as mensagens sejam entendidas e tá dito...
    Bem, nem me fales no Brasileirinho falado, jasus, olha a minha deficiência a ouvir brasileiro..Já pegou as calcinhas hoje? e eu? calcinhas, isto são calções meninas, indicando os meus calções plo meio da perna... depois de explicações quando sugeri que aqui é cueca, menina, cueca é de homem, aqui a gente diz calcinha, e eu? e os Boxers? ah, isso é homem dando murro no ringue... bem, pobre laurinha nas terras lusas sem lusitanos a falar...
    Tá giro a tradução e aquela nananináná aprendi contigo e adoro usá-la no gozo... Beijinhos.

    ResponderEliminar
  11. ahhhh nicole? há tantas nicoles mais giras só que não são famosas, e Brads Brades de bradar aos céus também, mas, nem são famosos, e eu que o diga... beijinhos.

    ResponderEliminar
  12. bom, no mínimo temos de saber o que cada palavra significa. cá eu sou uma chata com as palavras

    ResponderEliminar
  13. Lol!
    Onde é que tu foste arranjar isto?
    Está supimpa este post! (engraçado que supimpa apareceu como erro)
    Lol!

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  14. "Giro - Brad Pitt"

    LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL! A-D-O-R-E-I buéréré esta definição!!!! Embora esteja mais como a Sunita, ihihihih, não descarto este teu significado, nánánináná (adoro esta tua expressão ehehehe).

    Quanto aos purismos e evolucionismos, ehehehe, não me considero fundamentalista, mas penso que uma coisa é o falar, outra, o escrever. Sem descartar que uma lingua deve evoluir, deve fazê-lo com peso e medida. Se cada um de nós lhe der pra começar a inventar expressõese significados, qq dia já ninguém se entende! E se, mesmo a falar a mesma língua, o pessoal já tem dificuldades de comunicação,imagina se começarmos a inventar palavras ou regras gramaticais a torto e a direito!!
    Mas, é uma questão bicuda. Por um lado há casos de ignorância dissiminada quanto a determinadas expressões (por exemplo, a expressão "parece que tem bicho carpinteiro", ao que me disseram, deriva de "parece que tem bicho no corpo inteiro"...) ou femininos vs masculinos (e avanço já om clássico e já tão debatido -croc croc, enfardei buéréré de pipocas na altura hehehehe- "o tesão" vs "a tesão"), que todos adoptam mas que está gramaticalmente e semanticamente errado. Pergunto, poderá a ignorância servir de "mutação" na língua?
    Por outro lado, se toda a gente utiliza determinadas expressões e que, mesmo à revelia das regras gramaticais e semanticas (tirando no caso do tesão, pq senão ainda vamos ter de passar a dizer a chão, a cão, a limão, a alemão, e etc, por uma questão de coerência loooool), toda a gente se entende desse modo...porque não alterar?...

    Confesso que o acordo ortografico não me agrada, na medida em que vamos ver (aliás, já vemos) espectadores transformados em espetadores (e cadê o espeto e touro onde vão espetá-lo??), por ex. A ideia é facilitar? Ou é ir de encontro ao "analfabetismo" para se poder dizer que aqui é tudo pessoal alfabetizado? Mas, facilitar?...se cada vez que for espetadora, terei de explicar que não espetei um ferro em ninguém! :D

    Enfim. É confuso e eu estou confusa, perdida no meio de um purismo evolucionista loooool!

    ResponderEliminar
  15. a linguagem é uma pessoa, apesar de nem sempre se reconhecer isso. como tal, tem que percorrer o seu próprio caminho, crescer, desenvolver-se, evoluir. eu tenho preconceitos em relação ao aborto ortográfico porque acho que as pessoas devem seguir o seu caminho naturalmente, não devem ser forçadas a isso.

    ResponderEliminar
  16. Já agora posso acrescentar mais uma que se usa lá para os lados de Trás-os-Montes?

    Tratei-o de resto = Tratei-o muito mal = Tratei-o abaixo de cão

    É só uma achega!!!
    Beijinhos
    Licas

    ResponderEliminar
  17. Ó, PARISIENSE, todos temos maneiras de falar, de região para região, dentro do país, claro que se estendermos ao Brasil, Angola, Moçambique, etc, o léxico aumenta, muitas vezes com palavras que querem dizer a mesma coisa.
    Ná, não há cá diminuição de feriados! O último que tentou acabar com um (3ª feira de Carnaval), perdeu as eleições logo de seguida... :)))
    Jinhos, nina!

    Também conheço essa, ISABEL, aliás o meu pai nasceu (e morreu) em Vila Praia de Âncora, mas por acaso não utilizo normalmente.
    Lá vamos escolhendo o vocabulário que se adequa mais ao nosso dia a dia...
    Beijinhos!

    Vem do Brasil é o que diz no dicionário, CAPITÃO! Uma amiga minha, jornalista, quase com a idade da minha mãe, usava a palavra normalmente... :)
    "Vade retro" serve para outras coisas mais importantes!

    ResponderEliminar
  18. Caralludo, CONDADO??? Essa também não vem no meu dicionário de galego... (`_^)
    Abraço!

    Suponho que isso é um grande elogio, VÍCIO! :D

    Ai, ai, andas a versejar, INÊS??? Influências de dois pássaros gémeos, não? :)))
    Beijinhos, nina!

    Eh, eh, eh, SUN, também sou apreciadora do giraço! (*_*)
    Podes fazer copy+paste à-vontadex, para onde quiseres!
    Beijokitas!

    ResponderEliminar
  19. Ah, LAURINHA, também não alinho em calcinhas... só retenho as palavras que me agradam! O nananinaná é linguagem falada num círculo restrito de familiares e amigos, por achar piada à expressão é que a utilizo de vez em quando... :)
    Essa Nicole - que não sei bem quem é, note-se! - deve ser assim a dar para o deslavadito, não?! :D
    Beijocas, nina!

    Também já fui assim, TERESA DURÃES! Mas perante tanta calinada (esta até vem no dicionário), porque é que não hei-de usar o vocabulário que me apetece?! Ainda por cima num espaço de lazer, né (esqueci-me desta, que obviamente é a contracção de "não é")? :)

    Até o Brad Pitt aparece com erro, MATCHBOX32, mas lá que o "moçoilo" é giro, lá isso... LOOOL
    Não, esta não vem de mail! :D
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  20. Tens razão, VAN, que uma coisa é falar, outra é escrever. E ninguém escreve um trabalho ou tese, com estas palavras, obviamente!

    Mas considerando este um espaço informal, de brincadeira, mesmo que de vez em quando tocando pontos mais sérios, o linguajar sai-me assim, de pura converseta. E sim, o nananinaná é palavra comum falada no meu círculo restrito, só reproduzi no teclado! LOOOL! Não inventei nenhuma palavra, nem tenho pretensões dessas... :)))

    O "cadê" não me faz impressão, o espectador vai continuar a sê-lo. Que gosto de espetadas, não dos espetos em cima do lombo do touro.

    O acordo só me desagrada na medida em que foi decidido por uns quantos "intelectuais", em gabinete, para alterar algumas palavras que não fazem parte da linguagem de ninguém, embora em grande parte para legislar sobre evoluções já existentes (alguém escreve deshabitar, deshumano, etc.?).

    Mas ficamos no:
    Giro = Brad Pitt
    Giraço = George Clooney

    Certo? :D

    ResponderEliminar
  21. Absolutamente de acordo, MOYLITO! Se vives no Norte, tens expressões que não se usam no Sul e vice-versa!
    O caminho deste acordo (ou como lhe queiras chamar) é que foi um bocado aos tombos, entre "trancos (ó, ó, também não consta) e barrancos", andam nisto há quase 20 anos, só agora entrou em vigor. Algumas regras acho que ninguém vai aceitar, de cá e dos outros lados do oceano... C'est la vie!
    Moço marafado! :D

    Ah, essa não conhecia, LICAS! Mas aí está um bom exemplo, de como a nossa língua às vezes nos prega partidas, com frases que não conhecemos...
    Boa achega!
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  22. Claro que no nosso canto, onde não andamos a pregar nenhum padre nosso ao padre, nem andamos a fazer concursos literários (eu, pelo menos, não ando loool), nem temos propriamente todo o tempo do mundo para andar à cata de erros de digitação (eu, é mais preguiça de meter os acentos e algumas virgulas loooool).
    E, no nosso espaço, temos o linguajar que quisermos, né?? POrque, no fundo, estamos a falar! Não só a escrever.
    Logicamente que nos textos que faço, por ex, às minhas formandas terriveis, não utilizo estas expressões e corrijo a linguagem de msn e sms... :D

    ResponderEliminar
  23. Eu já não sou do tempo em que se escrevia deshumano heheheh! Ou, Philosophia ahahahah.

    Mas, achava piada ao linguajar dos escritores da primeira metade do sec XX,os Eças e afins.

    - Por quem sois, nobre senhora!

    LOOOOOOL!

    Um exercicio interessante é ler o Aquilino com o seu linguajar mais "arcaico". Mas, para esse, dicionário em punho eheheheh! Ou avô ao lado LOOOL!

    ResponderEliminar
  24. Bom, vamos por partes, VAN:

    1º Considero a blogosfera uma forma de comunicação entre as pessoas, uns serão mais formais, outros mais informais, notoriamente decidi-me pela última. Por feitio, mas também por entender que é o espírito mais adequado a momentos de lazer... Obviamente há quem leve mais a sério, não tenho nada contra!

    2º Concursos literários existem cá fora, mas não são para escrever um conto de 230 palavras (que aliás é uma medida adequada para um blogue, para não sair uma "pastilha"). Acho piada a essas iniciativas, quando o tema me agrada concorro, por diversão... LOOOOOL!

    3º Por incrível que pareça o deshumano (e outros) ainda não tinha sido alterado por lei, a tal de Philosofia e Pharmácia já desde 1911 ou coisa do género. Mas já ninguém escrevia deshabitar há bué, né?

    4º Do Aquilino li "Quando os Lobos Uivam", sem grande dificuldade, já "O Malhadinhas" (obrigatório no tal de propedêutico) foi difícil para caramba, até porque utiliza palavras que nem constam no dicionário, mas de um léxico local - diferente do meu.

    5º Esses "por quem sois, nobre senhora" pode ter alguma piada, mas, claro, era apenas reservado a damas, que o restante mulherio era tratado 10 furos abaixo do canito, certo?

    6º Por acaso se vejo um erro ortográfico ou de digitação em blogues que normalmente têm mais cuidado com a escrita, aviso. E gostaria que me fizessem o mesmo a mim, desde que não seja para embirrar com esta linguagem "falada" que não consta no dicionário... :D

    7º Claro que esta forma de escrita não dá para usar com alunos ou professores, nem em requerimentos ou documentos oficiais. Há que distinguir uns dos outros... ;)

    Ufff! Acho que respondi a tudo! Como diziam os outros: "That's all, folks!"

    OK, ainda segue uma beijoca para ti!!! :)))

    ResponderEliminar
  25. Mainada, mesmo, TONS DE AZUL! :D

    ResponderEliminar
  26. e gira é Safira, certo?
    :)

    ando a fazer um raide depois de mais de uma semana sem ler ninguém e não me saiu nada de mais inteligente para comentar. :))

    ResponderEliminar
  27. Certo, ela é gira, SAFIRA!

    Nada de subestimar quem queira comentar... :)

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)