terça-feira, 28 de outubro de 2008

GARNISÉ

Foto de Ian Britton

Um dia destes, o filhote de 16 anos lembrou-se de me perguntar, enquanto estava a preparar o jantar:
- O que é que achavas, se eu pró ano fosse estudar para os Estados Unidos?
- Nada! Ainda é cedo para isso, não tens maturidade para tanto - respondi.
Saiu da cozinha zangado, a chamar-me "mãe galinha" e outras coisas que tais.

Na verdade, não fiquei com problemas de consciência, porque já não o vejo como um pintainho no meu ninho, mas ainda não o consigo encarar como adulto, a desenrascar-se sozinho numa terra distante se alguma coisa correr mal. E, é evidente, não pretendo alojar na minha casa um marmanjão americano, em sua substituição, num intercâmbio não sei das quantas...

Alguns amigos vão? Pois, que bom para eles!!! Ou não?!

Por incrível que pareça, a Inês (sem ser a anja), enviou-me esta cantilena diária de todas as mães, que se aplica quase inteiramente:




Ah e tal, que o rapaz está preso à perna da mesa por pais retrógrados? Ná! Só que ainda é cedo para viver o "sonho americano" em toda a sua pujança...

31 comentários:

  1. Com tantos excelentes sistemas educativos, ele escolheu os EUA?

    Sim, aos 16 anos é cedo. Tenho a certeza que ele ainda nem sabe o que quer realmente seguir ou o que pode seguir. Terá tempo de fazer esses intercâmbios em Erasmos na faculdade.

    ResponderEliminar
  2. Pois, CREST, vai ter tempo para tudo isso, quando entrar na faculdade e for maior...

    Entretanto, também tem tempo para pensar se o sistema educativo dos EUA é o que mais lhe convém! Não é por nada, mas não sei se ele está a ver bem o filme... ;)

    ResponderEliminar
  3. Nâo sejas assim tão preconceituosa, há escolas nos EUA que seriam excelentes para preparar o seu futuro em Portugal. Refiro-me às que têm disciplinas do género "como desviar das balas", "manter a cabeça baixa enquanto um colega invade a sala com uma UZI", etc... ;)

    Beijoca!

    ResponderEliminar
  4. Sem duvida que 16 anos é um pouco cedo........
    Mas eu não serei a pessoa mais indicada para dizer isso......pois foi com 16 anos que sai debaixo das saias da m/mãe fui estudar e viver para onde país, e aprendi a ser adulta....e posso dizer-te que eu acho que foi no momento certo na hora certa, tenha a gente maturidade para isso.
    Mas se tivesse sido 2 anos depois tambem estaria muito bem.....

    Mas sem querer somos mesmo mães galinha.....ahahahahahahah

    Beijokitas

    ResponderEliminar
  5. Eu saí da casa para estudar aos 17, a Barcelona. Não era um outro país, (embora naquele então parecesse respeito à Galiza) com certeza, mas era suficientemente longe: só voltava à casa nas férias, e deu para aprender muito. Tempo tem ainda, sim, mas que não deixe para nunca mais.

    ResponderEliminar
  6. CREDUUUUUUUUUU fiquei sem fôlego só de ver e ouvir a gaja!!!!!!!! =DDDD

    Hoje em dia os miúdos amadurecem mais devagar. E o mundo lá fora já não é tão seguro...ainda por cima na América??? Ainda se fosse na suiça!! Ou em paris!! Barcelona!! ;-)
    Mas, eu também sei o que é ter 16 anos e achar que os pais não sabem o que é melhor para nós ;-))). Fui uma adolescente terrivel loool!
    Podias sugerir-lhe uma viagem de férias, ao invés desse intercambio, se o objectivo é conhecer o país...porque, o sistema educativo americano ainda consegue ser pior que o nosso...

    ResponderEliminar
  7. ai se eu tivesse uma filha de 18 anos!!!! ia já para o estrangeiro em nome de S. Erasmus!

    ResponderEliminar
  8. Se ele for estudar para os States vai ser um crânio, que eles lá não são propriamente brilhantes. Isto dito por quem lá estudou.

    Ele que comece com um erasmus em Espanha, que é pertinho e sempre ficas mais descansada. ;)

    ResponderEliminar
  9. A Universidade Independente não lhe basta?

    ResponderEliminar
  10. Galinha, mãe Galinha, isso estou-te a ouvir "com muito gosto, e qual é o problema?"

    Eu acho que o principal problema, não é o querer ir estudar para aqui ou ali, mas sim como vai gerir essa aprendizagem no futuro!

    O filho de uns amigos, foi há 2 meses, viver com uma familia,(tipo Erasmos) para o Canadá! Não tenho a menor dúvida que virá com outras perspectiva, mas... fica aqui um grande mas, que só daqui 10 se irá descortinar!

    ResponderEliminar
  11. fizeste bem em dois aspectos:

    em dizer não e em não ficar com problemas de consciência por isso.

    [por outro lado quem sou para falar, nem sequer tenho filhos]

    ResponderEliminar
  12. Xiiiii, RAFEIRO, estás a referir escolas de polícia não? Espero que nunca vá aprender coisas "úteis" como essa... ;)
    Beijoca!

    Olha, PARISIENSE, não duvido que essa aprendizagem confere uma certa maturidade. O meu pai saiu de casa aos 9 anos, onde só voltou para passar férias: primeiro esteve nos Púpilos do Exército; depois começou a trabalhar e foi viver para um quarto, enquanto estudava. Não tenho dúvidas que aos 14 era mais maduro que o meu filho aos 16...
    E "mãe-galinha", francamente, de vez em quando, sou um bocadinho! Mas, quer dizer, se não formos nós a estar atentas aos nossos filhotes, quem estará??? :)))
    Beijokitas, nina!

    ResponderEliminar
  13. Sinceramente, se fosse a ti, também não estava descansado. Dos estados unidos, é difícil vir algo de bom... quanto mais ir buscar algo de bom...
    Essa de em troca ter que aturar um tanso com a mania que é mais que os outros também não é nada favorável...

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  14. Não vejo mal nenhum em estar preso à perna da mesa...

    Tenho em projecto aprisionar a diabbita-minorca até aos 25 hihihihihi (malvada mode - há-de valer-me de muito)

    enxofre

    ResponderEliminar
  15. Ah, SUN, não vai deixar para o dia de São Nunca, não, que o rapaz pela-se por viajar... e, claro, ser esse o principal interesse e não os estudos! (`_^)

    Bom, para ser sincera, VAN, aos 16 anos a je também não era especialmente madura... Mas, pelo menos, não tinha a mania que era! :)))

    Porquê, VÍCIO? És devoto do santo??? :)))

    É isso mesmo, SAFIRITA! Quando entrar na Faculdade, logo se vê se terá oportunidade de fazer meio ou um ano de Erasmus. Nessa altura também já será mais velhinho... :D

    ResponderEliminar
  16. Para ir para a Universidade Independente, REI, o melhor era ir trabalhar, viajar ou qualquer coisa do género. Sempre aprendia mais!!! ;)

    Pois é, INÊS, filhos de amigos meus que tiveram uma "ordem de soltura" antes da devida maturidade, não se deram especialmente bem. E nem foi para outro País, era cá em Portugal mesmo, mas ao verem-se sózinhos, foi a desbunda completa... Noitadas, copanadas, gajas (eram rapazes) e estudo, nicles!
    E claro que sou um pouco mãe-galinha, mas acho que faz parte das minhas "competências" preocupar-me, avisar disto e daquilo, tudo o que me pareça importante que ele saiba. E faço o mesmo com as minhas sobrinhas... ;)

    Também não tenho dúvidas que fiz bem, MOYLE. E o que tem não ter filhos? Todos têm direito a ter uma opinião... :)

    ResponderEliminar
  17. Não sou mãe,mas concordo plenamente contigo...cada coisa no seu tempo certo!

    beijinhos

    ResponderEliminar
  18. Bom, sinceramente, não conheço nenhum americano pessoalmente, MACTHBOX31, certamente não serão todos mentecaptos como o presidente. Mesmo assim, exceptuando talvez algumas áreas específicas, não consta que o sistema de ensino tenha muita qualidade. E se quer aprender a falar melhor inglês, Inglaterra está mais perto e a pronúncia é mais correcta (quer dizer, dependendo da região).
    Jinhos!

    Ah, DIABBA, esses projectos são muito "lindos", mas normalmente caem por terra, muito antes dos 25... :)))
    Beijoca enxofrada para ti!

    ResponderEliminar
  19. GATINHA, toda a rapaziada que conheço que ficou de "rédea solta" cedo demais, não se tem dado muito bem, não...

    E ninguém quer que isso aconteça aos seus filhos, sobrinhos, primos mais novos, etc., né?

    Beijoca!

    ResponderEliminar
  20. Convence-o a deixar crescer a barba e a usar turbante.
    Assim, são os américas que não o querem lá e ficas tu safa e sem a culpa...
    ;o)))

    ResponderEliminar
  21. Ora aí está uma boa ideia prática, SORRISOS! :)))

    ResponderEliminar
  22. não tenho filhos mas aturo muitos filhos todos os dias:)

    ResponderEliminar
  23. Já tinha percebido, MOYLITO! :)))

    ResponderEliminar
  24. Ehhh, os meus diziam a mesma, o mais velho só saiu agora de casa e já vai nos 29...a pariga acabou o Cursod e Biologia Aplicada aos 21 e começou a viajar em trabalho claro, está a acabar o doutoramento e tem 24, mas todos os jovens começam com esses sonhos de ir pra longe para os E Unidos... para nós é dificil, mas mais dia menos dia têm de ir, mas enquanto pudermos tê-los debaixo de olho e das asas, porque não? é que muitos se perdem com a ilusão que se desenrascam de tudo...mais velhitos sim, aliás têm mesmo de ir aque aqui não há futuro para eles a não ser um salário minimo que não chega a nada..Beijinhos.

    ResponderEliminar
  25. Sabes tèté eu acho que esse nosso " mãe galinha" é mais porque nós temos medo de os perder, de eles estarem longe de nós, do que propriamente de acharmos que eles não seriam capazes de se desenrascar......acho que inconsientemente somos um pouco egoísta.....queremos-os debaixo da n/saia para os termos ali bem pertinho por mais tempo....ahahahahah

    Beijokitas linda

    ResponderEliminar
  26. pois realmente os EUA são um bocadinho longe para ir dar uma mãozinha quando algo correr mal... mas um dia ele vai voar, quer queiras, quer não...

    bsj

    (a canção não podia ser melhor...)

    ResponderEliminar
  27. Quis sempre que os meus filhos fossem para os Estados Unidos, uns seis meses ou mesmo um ano, em intercambio atrvés do liceu.
    Nenhum deles quis ir...e eu achei-os burros.
    Eu nunca tive a sorte de quando andava no liceu de haver intercambios. Quando acabei o liceu fui logo para Paris e a seguir para Londres.
    Os meus filhos sao como o pai, nao tem o meu espírito aventureiro.
    Deixe ir o rapaz. Um americano em sua casa vai ser giro, acredite!
    Eu já tive cá em casa todas as nacionalidades e gostei muito.

    Uma "Teté" nao pode ser mae-galinha

    ResponderEliminar
  28. Pois, não digo que não irá um dia, LAURINHA, para já é que é muito cedo! E ele ainda é muito imaturo... mesmo! :)))
    Jinhos, nina!

    Ná, PARISIENSE, no caso ele é muito imaturo mesmo. Mas se bem que não me trema a barriguinha da perna de emoção, quando ele for para fora (se bem o conheço, há-de ir!), acho que faz muito bem em aproveitar essas oportunidades que entretanto possam surgir... C'est la vie!
    Beijocas!

    Vai sim, LEONOR, tenho a certeza. Mas tudo a seu tempo... ;)
    Jinho!

    EMATEJOCA, no meu tempo de liceu também não havia esses intercâmbios, mas também não tenho esse espírito aventureiro. É possível que ele tenha, mas para já acho que ainda é cedo.
    Num futuro não muito distante, logo se verá...
    Beijoca!

    ResponderEliminar
  29. com 16 já quer ir para fora? deixa-o a marinar mais um bocadinho e depois logo se vê. com jeito para o mes que vem já quer ir para africa como missionario ;P

    ResponderEliminar
  30. Também acho que com 16 anos é um bocado arriscado. É certo que há casos em que funciona muito bem mas... acho que se fosse mãe não arriscaria...

    ResponderEliminar
  31. Ai deixo marinar deixo, FAUSTO, que também ainda acho muito cedo!
    Para África, ainda por cima como missionário, não me parece que queira... :)))

    INÊS, todos os casos que conheço em que foi dada "rédea larga" a adolescentes (dos dias de hoje, convém ressalvar), antes de terem maturidade suficiente, não correram lá grande coisa...
    Não arrisco não, terá mais oportunidades para isso, um dia mais tarde! :)

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)