segunda-feira, 24 de março de 2008

ESTE PAÍS NÃO É PARA VELHOS

Está visto! Há muitos anos que não assistia a uma sangreira tão desatada, num filme de Hollywood, consagrado por quatro Óscares nas categorias mais importantes. De violência em violência, ao fim dos primeiros 5 ou 10 minutos já tinha deixado de contar os mortos...

.

Texas nos anos 80, quando um xerife se desencanta com a única profissão que quis seguir na vida, moldada pela do seu pai e avô, que conduziam as suas carreiras sem utilizar armas.

Um negócio de droga que correu mal para todos os intervenientes, um ex-combatente do Vietnam que supõe que se safa com a massa, um psicopata atrás dele, mais um sem número de polícias (locais ou de departamentos federais ou governamentais), traficantes e bandos atrás da dinheirama, da droga ou de ambos os protagonistas, seguindo o rasto de sangue.

.

Não gostei! Mas para quem quiser ver o trailler, basta clicar. Contesto ainda que Javier Bardem seja actor secundário, nesta sua interpretação de psicopata, bem credível por sinal.

.

“Juno”, “Expiação” e “O Lado Selvagem” são excelentes momentos de cinema, se bem que dificilmente comparáveis entre si. Até “Michael Clayton – Uma Questão de Consciência”, movimentando-se em teorias da conspiração, assume um papel mais simpático...

.

Este filme só serve para quem aprecie muito, mas mesmo muito e muito sangue no ecrã. Nem o Drácula conseguiu tanto!!!

32 comentários:

  1. Pois...não sei se te recordas de te ter escrito algo sobre est filme...nos teus comentários...eu não consegui ver até o final e foi um daqueles filmes que não entendi por que razão estava inserido na categoria dos melhores filmes. Concordo com a nomeação do Javier para melhor actor secundário, apesar de achar, como tu, que o filme mais parece viver dele sobre ele do que sobre os ditos principais. Atenção que este actor vai entrar agora no Amor em Tempos de Cólera.
    Por enquanto estou em stand by quanto aos filmes mas tenho aqui em casaum para ver que é o RENASCIMENTO - Paris 2054 ( com técnicas de animação do género do Sin City, Matrix e ambientes do Blade Runer - pareceu-me extremamente interessante.Depois logo te digo!
    Ainda estamos na época de Páscoa...ainda tenho amêndoas e um coelho de chocolate para extinguir! E domingo que vem é Pascoela (assim denominam na terra dos meus pais). Por isso, continuação de boa época pascal!

    Beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
  2. Não vi esse país não é pra velhos, e do que tenho ouvido contar (é só sangue), não me parece que vá ver!! =D

    Mas fui verificar se o Daniel Day Lewis merecia o óscar com o "Haverá Sangue"! =D o verdicto (meu, que vale o que vale, lol): obviamente que sim!!!!!!! O homem faz um papelão, mas um papelão...aliás, todas as interpretações daquele filme são papelões. Já há muito que não via tantos bons actores juntos!
    O filme em si, que ilustra a demanda de um prospector de petróleo, e da sua relação com os outros e com o filho, é magnífico. Adorei. Se bem que, por vezes, se tornasse algo parado! Mas conseguiu a façanha de surpreender, e muito, porque tudo o que acontece, acontece com o espectador completamente desprevenido.
    Há um ou outro pingo de sangue, mas ao contrário do que o titulo do filme faz crer, não é um filme sangrento, muito pelo contrário. A violência não é gratuita, está sempre dentro de um determinado contexto, e não é espalhafatosa. Há mais violência psicológica no filme (mas nada de especial) do que violencia fisica (é rara). Adorei.

    ResponderEliminar
  3. sangue, mortes guerras nem que me ofereçam o bilhete... já me custa ver na tv e mudo de canal...
    Eu disse a ti para veres e tens de ver mesmo o Sons do coração..bora pra lá vai lá ver enquanto tá por cá...depois diz se foi baboseira minha... beijinho. já recomendei à vanadis...

    ResponderEliminar
  4. Prefiro matar uma galinha velha e fazer uma boa cabidela. Tenho dito.

    ResponderEliminar
  5. Violeto, tu e o rei e a cabidela, páh! =D

    tete, já vi o anúncio do filme que a Laurinha refere, e parece bem lindo!!

    ResponderEliminar
  6. o Drácula tinha dado um jeitão para limpar os "sets" depois das filmagens... mas, apesar disso, é um filme muito bom (embora não tenha podido apreciá-lo nas devidas condições de saúde e frescura física)

    ResponderEliminar
  7. Também fiquei desiludida.
    Salva-se pelo desempenho do espanhol.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  8. Oh, SU, se me tivesse recordado, se calhar nem teria ido ver. Se tivesse ido sozinha (que vou, às vezes), provavelmente também me tinha vindo embora.

    Não entendeste tu o porquê de tanta nomeação e Oscares, nem entendi eu!

    Amor em Tempos de Cólera já está nas salas, quero ver se vou ver ainda esta semana (o rapaz foi "acampar"...)

    Sabes que esses filmes não são muito do meu género, mas se for mesmo bom depois dizes, né?

    Jinhos grandes para ti também!

    ResponderEliminar
  9. GRAFONOLINHA (ai!) não perdes nada! A não ser que te apeteça ver um psicopata em acção e muito sangue e cadáveres à mistura... :(
    Vê lá tu, não fui ver esse do Daniel Day Lewis, porque o título parecia anunciar uma grande sangreira! Ainda não sei quando, mas ainda hei-de ver esse. :D

    LAURINHA, "mea culpa", que não segui o teu conselho... Provavelmente vai ser um dos próximos, até para desanuviar! Os oscarizados que se lixem... E não, não acredito que seja baboseira tua! :)))
    Jinhos, linda!

    Ai, VIOLETO, se há comida que não aprecie, a cabidela é uma delas! Quanto a matar uma galinha, não havia dinheiro no mundo que me pagasse, só em último caso, numa questão de sobrevivência... ;)

    ResponderEliminar
  10. É, não é, GRAFONOLA? A broa, o vinho, as batatas, a galinha e a cabidela...
    Há que desculpar, que já são velhotes! :D
    Quanto ao filme da Laurinha, também me parece muito bom. Pelo menos, para desanuviar desta sangreira toda!!! =)

    MOYLE, mas o Drácula gosta de sangue quente, não de sangue frio, muito menos se tiver de lamber o chão dos sets... Ele é um aristocrata!!! ;)
    Gostaste deste bom filme? Vou guardar essa tua opinião, para registos futuros... :D
    Espero que a saúde tenha melhorado, entretanto!

    Claro que o Javier faz um papelão, GATINHA! Mas um bom filme não sobrevive só disso... Desilusão, mesmo! :/
    Jinhos!

    ResponderEliminar
  11. Ainda não vi este filme, mas pelo título sempre pensei que não fosse nada assim, com violência sanguinária!! Hum... Sendo assim não sei se o irei ver...

    ResponderEliminar
  12. Espero que os cavalos se tenham safado no meio de tanta violência...

    ResponderEliminar
  13. Então não digas que não foste avisada, TONS DE AZUL! :)

    Quais cavalos, CAPITÃO? Nesta sangreira toda, nem cães, nem pássaros se safaram...

    ResponderEliminar
  14. nao fazia ideia de que tratava o filme e (sem ver o trailer) tinha ideia que era mais um filme à americana, em que eles sao os maiores e que sabem tudo e fazem assim e assado. tenho-o praqui no PC para ver, assim como o espiaçao e o michael clayton (estes 2 atraem-me muito mais)... vamos a ver se nao o apago antes de ver, porque com a descriçao que das nao me parece que mereça o tempo perdido...

    ResponderEliminar
  15. Não vi e se assim é não tenciono ver. Detesto violência gratuita. Quando num filme existe alguma violência mas porque são retratados factos veridicos ou para sensibilizar aí ainda aceito ver, mas são tantos os filmes e os jogos com violência gratuita que essa eu recuso mesmo de ver.
    Boa semanita e beijokitas.

    ResponderEliminar
  16. Já tanta gente me disse que não gostou que já perdi a vontade de ir ver lol
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  17. Já tanta gente me disse que não gostou que já perdi a vontade de ir ver lol
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  18. CAPITÃO, rato, não apareceu lá nenhum (se excluirmos a ratazana psicopata), mas aposto que também marchava, naquela fúria sanguinária... ;)

    FAUSTO, "Expiação" é um filme lindíssimo e romântico (sobre um equívoco juvenil, que acarreta consequências), Michael Clayton não é mau de todo, embora seja uma grande americanice (advogados e as tramas empresariais escondidas a todo o custo), este garanto que é uma sangreira desatada. O actor sim, faz um papelão, mas não o acho secundário (como diz a Su, o filme gira em torno dele)...

    ResponderEliminar
  19. ainda não vi o filme mas tenho-o no PC.
    já perdi um pouco de vontade de ver e a culpa é tua! ;)

    ResponderEliminar
  20. PARISIENSE, violento é de certeza, agora se um psicopata mata tão gratuitamente, não faço a mínima ideia...
    Boa semana e jinhos para ti!

    Pois, RP, não fui a única a sair da sala de cinema completamente desiludida. Aliás, assim que o filme acabou, ouviram-se logo alguns comentários indispostos... ;)
    Jinhos!

    ResponderEliminar
  21. VÍCIO, não é questão de ver, mas convém estar avisado... :)

    ResponderEliminar
  22. Vi e também não compreendi os prémios, à excepção do melhor actor secundário. Achei que tem uma boa imagem e uns bons "tempos", o enredo é merdoso, mas não é original.

    ResponderEliminar
  23. ANINHAS, não gostei mesmo nada do filme, mas claro que é só opinião minha (só excluo o actor do lote, que no papel de psicopata vai muito bem)!

    ResponderEliminar
  24. Não posso emitir opinião porque não vi.

    Apenas uma coisa mais. O drácula até nem tem assim muita sangue. Pelo menos para mim a melhor versão de Francis Ford Coppola. Até é uma excelente história de amor. Onde está lá tudo sobre as grandes questões do homem. O amor, a morte a vida eterna.

    Mas o melhor é o livro.

    ResponderEliminar
  25. CARLOS II, o Drácula também foi assim uma força de expressão, nem de perto, nem de longe, me estava a referir a qualquer dos filmes do personagem (são vários e não vi todos)! Mas ele sugava o sangue todo, não? Este não suga, espalha...

    O livro também não li!

    ResponderEliminar
  26. depois de ler o teu post e os comentários que te deixaram, está decidido, este só quando me vier parar ás mãos!

    atchim... atchimmm... atchimmmmm!

    ResponderEliminar
  27. melhorou e muito, felizmente.
    o D.Duarte também é aristocrata e passa o dia de volta do estrume, portanto, quando temos um ponto fraco... o resto é secundário.

    ResponderEliminar
  28. tinha alguma expectativa neste filme, mas de facto as apresentações que tenho visto correspondem à descrição, pelo que não sei se o vou ver.
    nunca consigo perceber algumas atribuições de oscares, logo este ano em que não faltavam bons filmes e boas interpretações por onde escolher...

    ResponderEliminar
  29. Credo, INÊS, constipaste-te???
    Não sei se, mesmo assim, vale a pena... ;)

    O D. Duarte passa a vida de volta do estrume, MOYLE? Que estranho, julgava que ele se limitava a dar umas entrevistas banais a revistas e jornais... :)
    Ainda bem que estás melhorzinho!

    Bem-vinda, Leonor!
    Pois, também nem sempre percebo a atribuição dos óscares. E sim, havia outros bons filmes por onde escolher. Este, tirando o actor, não vale um caracol (até o Tommy Lee Jones, aha, se fosse outro qualquer nem se notava)! Enfim, mas opiniões valem o que valem...

    ResponderEliminar
  30. Eu ainda estou a tentar compreender o sentido do último diálogo...

    ResponderEliminar
  31. Xi, qual diálogo, RAFEIRITO? O do psicopata com os putos? O do Xerife com a mulher? O do psicopata com a mulher do troll que se armou em esperto e acabou (como seria de esperar) morto?

    Garanto que não vou ver 2ª vez, para tirar dúvidas! :D

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)