segunda-feira, 26 de maio de 2014

REFLEXÃO... PARA QUÊ?


Já me tinha perguntado para que serviriam os dois dias de reflexão. Depois de ver e ouvir umas dezenas de tipos a aplaudirem Manuel "Palito" Baltazar - à porta do tribunal de São João da Pesqueira, onde compareceu, após ter sido capturado pela polícia, e para ser acusado de 4 homicídios (2 na forma tentada) - concluí que há gente que não faz a mínima ideia do significado de pensar, quanto mais pedirem-lhes para refletir.

OK, a atuação policial foi no mínimo caricata: como o assassino não se foi entregar após os dois homicídios consumados, cerca de uma semana depois resolveram ir à procura dele. E quase todos os dias apareciam na TV, no que mais parecia um passeio a cavalo, concluindo que existiam indícios que o homem continuava a cirandar por aqueles montes e vales e que os conhecia melhor que os próprios polícias. Mais, que teve ajuda de alguns populares, que o viram e lhe forneceram comida. E a captura demorou mais de um mês, o que, no mínimo, é ridículo. Mas nada disso invalida que o homem é um assassino da pior espécie - daqueles que quando casam julgam que a mulher vira propriedade deles e, simultaneamente,  saco de pancada. Daí não se entender como em São João da Pesqueira haja quem o aplauda como herói. Ou, havendo, o que se espera que essa gente reflita...

Assim, foi sem grande espanto que soube das primeiras projeções eleitorais: a abstenção foi a grande vencedora; que Seguro se proclamou vitorioso (?!?) com uma escassa diferença de 4% da coligação governamental; que esta apesar do ar pesaroso esfregou as mãos de contente (com tanta austeridade e disparate junto era de esperar um resultado muito pior); que Marinho Pinto com o seu estilo trauliteiro colocou no mapa um partido até aqui inexistente; que a CDU subiu notoriamente e o BE despencou; e que uma série de partidos pequenos receberam votos de descontentes.

Se juntarmos a este quadro os resultados eleitorais europeus já conhecidos, onde a extrema direita e a extrema esquerda estão a ganhar terreno, algo me diz que o futuro não augura nada de auspicioso. Nem para Portugal, nem para a Europa!

Portanto, por mais que as pessoas bem intencionadas ponderem sobre o que é melhor para o seu país, com tanta gente indiferente às eleições, o que acaba por ganhar é o "clubismo" agudo de alguns e o extremismo de outros...

24 comentários:

  1. Imagine o que sente quem está a assistir a isto tudo à distância :((
    Beijocas e votos de boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Imagino que não seja de molde a alegrar ninguém, PEDRO!

      Beijocas e boa semana também para si!

      Eliminar
  2. Permites que assine por baixo , palavra por palavra, tudo quanto aqui escreveste, Teté?

    Estou, acredita, com um nó na garganta desde que soube que a França elegeu em maioria um Partido , cujo Presidente afirma que o ébola , em três meses resolvia o problema da emigração, e crê na desigualdade das raças!

    Hitler foi eleito e causou a imensa tragédia que devastou a Europa assassinando a frio milhões de pessoas que incluíam deficientes alemães, ciganos, opositores políticos, judeus, prisioneiros de guerra,crianças , ....

    Eu sempre disse que a responsabilidade nunca foi só dele: a sociedade foi cúmplice e estava em estado de anuir a toda aquela insanidade!

    Receio que algo de muito mau venha a acontecer de novo, porque essa estupidez de dizerem que a História não se repete , é isso mesmo : uma enorme estupidez!

    Abraço e boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A História repete-se tantas vezes, SÃO! Então Hitler não cometeu o mesmíssimo erro que Napoleão, ao invadir a Rússia?

      Para ser franca, já esperava esse descalabro em França, bem como outros países europeus. Ou seja, acabámos por eleger um parlamento europeu, cujo um quinto dos deputados são contra a UE. Ora que bom resultado é que há a esperar disto? Nenhum, claro...

      E antes a UE desmembrar-se, do que isto descambar em guerra(s)...

      Bejocas

      Eliminar
  3. Marinho Pinto, Manuel Alegre e Fernando Nobre são personagens do mesmo barro e são para esquecer!!!

    Os portugueses não querem o PS no poder!!!

    O João Ferreira não pertence à esquerda radical e é muito promissor!!!

    Não ir às urnas é que é uma enorme estupidez!!!

    Boa semana, querida Teté.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Refiro-me ao Manuel Alegre como politíco, não como homem de Letras!!!

      E a frase do Mário Quintana:

      "O amor é isso, não prende, não aperta, não sufoca. Porque quando vira nó já deixou de ser um laço."

      Continua a ser o lema da minha vida.

      Eliminar
    2. Lamento, mas não concordo contigo em relação a Manuel Alegre, que sempre foi uma homem ligado à política e ao PS, antes e depois do 25A. Não tem nada a ver com os outros dois, que surgiram da sua mediatização noutros campos e cuja ambição os levou para a política! E as pessoas como estão fartas dos atuais políticos, acabam por embarcar, mas é sol de pouca dura. Então o Marinho Pinto, que além de trauliteiro, tem posições bem retrógradas em relação à violência doméstica e a outros temas polémicos...

      E sim, bem percebi que não te estavas a referir a ele como homem de letras!

      Concordo contigo que o povo não quer este PS no poder! O PS de Seguro é uma cópia do PSD de Coelho, os próprios currículos deles são muito semelhantes: nunca trabalharam (fora dos partidos), acabaram os próprios cursos quase aos 40 anos (o que quer dizer que estudaram pouco e mal) e não se sabe bem como e em que universidades. Agora para isto dar uma volta, só o PS arranjando outra liderança! ;)

      Também gosto muito da frase de Quintana!

      Boa semana! :)

      Eliminar
  4. Venceu a esmagadora minoria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem tirar nem pôr, MAR ARÁVEL! ;)

      Eliminar
  5. É uma boa altura para o célebre comentário: o mundo está louco...

    ResponderEliminar
  6. Reflexão a aplaudir é a que acabei de ler aqui, Teté! Com uma cajadada mataste dois coelhos, salvo seja! :)

    Caricato, todo o aparato à volta da captura do assassino que andou a monte e descia à terra para receber ajuda dos conterrâneos, já esquecidos dos crimes horrendos por ele perpetrados. Incrível!

    A analogia que fazes, à volta do tempo que se diz ser preciso para reflectir, antes do povo ir às urnas, é perfeita com o poder reflectivo do mesmo povo de S. João da Pesqueira que aplaude um criminoso, como de um herói se tratasse.

    "Reflexão...para quê"? Nada mais certo e pertinente...

    Uma grande beijoca! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom, isso de matar coelhos deixo para os caçadores, que aliás é desporto" que me desagrada profundamente, JANITA! ;)

      A captura do homem (e as notícias que iam dando sobre a "evolução" da mesma) deram-me a volta ao miolo e aquele culminar em aplausos ainda mais! Esta gente está louca! :P

      Uma grande beijoca!

      Eliminar
  7. Só acrescentaria à sua reflexão, que subscrevo, que os grandes derrotados destas eleições europeias foram os portugueses. Não perceberam a importância destas eleições e ficaram em casa ou foram dar uma voltinha, porque votar é uma trabalheira. Os portugueses merecem o governo que têm. Depois não se venham queixar do desemprego, da redução dos salários e pensões, ou do aumento de impostos. Votar branco ou nulo, é uma posição. Abster-se é estupidez e ignorância.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olhe, CARLOS, 66% podem merecer o governo que temos, mas os outros 34% (nos quais me incluo) não. E também fui dar uma voltinha, mas isso não me impediu de votar... E enquanto puder votarei sempre, pois é um direito que tenho e que custou muito a tantos (anti-fascistas) e tantas (sufragistas): eles mereceram o meu eterno agradecimento, mas não é a única razão para votar... ;)

      Beijocas

      Eliminar
  8. Pois é Teté:BINGO!!! Realmente como reflectir se nem pensar se sabe.
    Pelos vistos todos nós votámos....os artolas que foram a o shopping é que andam a estragar isto tudo.
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha, PAPOILA, francamente não tenho a certeza: no FB toda a gente adora os animais, divide o lixo ecologicamente, vota, etc. e tal, mas depois vai-se a ver e continuam a ser abandonados animais nas férias todos os anos, há uma manif ou um jogo de futebol e o chão vira lixeira (nem no caixote, quanto mais divisão de lixo) e a abstenção é esta... Cheira-me que há por aí muito aldrabão! :P

      xxx

      Eliminar
  9. Podes explicar-me sobre o crime, Teté, pois não encontro nada sobre o assunto.

    Um criminoso como herói??? É alguma brincadeira politíca???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu ia lá brincar com uma coisa destas, EMATEJOCA! Mas ainda bem que já te explicaram, porque a explicação escrita seria sempre um bocado longa, para dar ideia do contexto!

      Eliminar
  10. "o que acaba por ganhar é o "clubismo" agudo de alguns e o extremismo de outros..."
    Onde é que eu assino?

    Aplaudir um assassino, que violentava a mulher e a família, é surrealista.
    Vi e não queria acreditar :(

    Grande abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olhe, somos dois, PEDRO. Aliás, julguei que estava a ver ou ouvir mal... :P

      Abraço

      Eliminar
  11. Numa conversa telefónica de ontem à noite, uma familiar portuguesa contou-me o caso do Manuel "Palito" Baltazar, ficando muitíssimo mais chocada do que com a victória da sereia loira francesa e doutros extremistas.

    Aplaudir um assassino é coisa de GENTE LOUCA!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente, a história da sereia loira e de outros extremistas era mais ou menos esperada (mais coisa, menos coisa), EMATEJOCA! Agora os aplausos ao assassino, não, daí o choque!

      Sim, infelizmente parece que há muita gente "mal cozida" nesta terra! Ou com as luzes apagadas ou fundidas (dai a foto)...

      Eliminar
  12. Como tens razão, amiga! Há coisas que por mais que me esforce não consigo entender e uma delas é a abstenção.

    Beijinho

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)