terça-feira, 9 de dezembro de 2014

O JOGO DE RIPPER

Não li muitos livros de Isabel Allende: os dois autobiográficos, "A Casa dos Espíritos" e agora este, para o Clube de Leitura. Em contrapartida, as minhas companheiras habituais destas "tertúlias" leram quase tudo o que a escritora escreveu e costumam ser fãs.

Desta vez, Isabel Allende mimoseia os seus leitores com um enredo policial. Um género geralmente mal visto na literatura, como uma espécie de 2ª categoria - só um pouco melhor do que os livros de cordel. Teoricamente, até mais fácil de escrever, pois há sempre um crime, uma investigação e, por fim, um desenlace.

Mas mesmo antes de vos falar do enredo em si - o que vou fazer o mais sucintamente possível - posso afirmar que todas as participantes foram unânimes: ninguém gostou!

Nos dias que correm, não é de estranhar que uma jovem de 17 anos passe parte dos seus tempos livres agarrada ao computador e a um jogo online, com amigos virtuais (e o avô). E, se calhar, nem muito original que o fito do jogo seja descobrirem  os criminosos que perpetraram assassínios reais e atuais. Agora completamente inverosímil é que o pai da rapariga, o inspetor encarregue das investigações, lhe(s) passe todas as informações que possui, incluindo relatórios e autópsias. Quer dizer, nem na América, nem no país mais sarrabeco do terceiro mundo! 

Enfim, quando um policial parte de uma premissa estapafúrdia, não há muita volta a dar ao texto, por mais linda e vaporosa que seja Indiana, a terapeuta holística (?!?) mãe de Amanda, a jovem inteligentérrima que desvenda os casos rebuscados, quase sem levantar o rabo da cadeira... 

Citação:

"«Ninguém fica rico a trabalhar», respondeu-lhe, divertido, e deu-lhe uma aula sobre a distribuição da riqueza e de como as leis e as religiões se encarregavam de proteger os bens e privilégios dos que possuíam mais, em detrimento dos pobres, para concluir que o sistema era de uma injustiça descomunal, mas por sorte ele pertencia aos grupo dos afortunados."

*******
A próxima sessão ficou marcada para dia 8 de fevereiro, com o livro "Em Parte Incerta", de Gillian Flynn.

22 comentários:

  1. Creio que também li todos os livros dela com a exceção de “Paula” e deste.

    Nem todos os escritores se dão bem com policiais. J.K. Rowling é outro exemplo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu gostei do da Rowling, CATARINA. Então comparativamente... :)

      Eliminar
  2. Ontem comeicei a ler O JOGO DE RIPPER na tradução alemã A BUSCA DE AMANDA. Até agora, estou a gostar.

    Li e vi o filme de "Em Parte Incerta", de Gillian Flynn.

    Beijocas da amiga de longe!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não vi o filme, daí o interesse no livro, que me disseram ser muito bom, EMATEJOCA!

      Beijocas para a amiga de longe!

      Eliminar
  3. Tanta gente descontente, não abona muito a favor da obra só me resta dar uma olhadela a ver se me vai cativar ou não!
    DE qualquer modo agradeço a opinião porque de uma maneira geral tenho estado em sintonia com o que aqui tenho lido.
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelos vistos, até por aqui há quem goste, PAPOILA. São gostos, claro... :)

      xxx

      Eliminar
  4. Por acaso sempre gostei muito de romances policiais. Da Isabel Allende apenas li A Casa dos Espíritos e gostei muito.

    Beijinhos e boas leituras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também gostei da "Casa...", GRAÇA, mas não tem nada a ver com este, obviamente! :)

      Beijocas

      Eliminar
  5. Mais uma sugestão que registo.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai registando para quando cá voltares, PEDRO! :)

      Beijocas

      Eliminar
  6. ~ Tenho quase todos os livros da escritora, mas este não!
    ~ Mais um a vir fazer parte da coleção, assim poderei avaliá-la em todos os géneros.
    ~ ~ Beijocas com votos de ótimos e divertidos momentos de leitura. ~ ~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como disse, e dada a sua vasta obra, sou apenas uma mera curiosa da escritora. Mas deste não gostei, MAJO! :)

      Beijocas

      Eliminar
  7. Acho que só li um ou dois livros dela...

    Beijufas, linda :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Li pouco mais que tu, SÃO! :)

      Beijufas!

      Eliminar
  8. Li alguns livros de Isabel Allende, como A casa dos Espíritos e O meu país inventado. Gosto dela, mas este não li.
    Quanto ao próximo livro, também não li, mas vi o filme.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vou fazer ao contrário: ler o livro e depois, se der, ver o filme, CARLOS! :)

      Beijocas

      Eliminar
  9. Adoro a Isabel e Paula,Eva e os espíritos são maravilhosos:)
    Esse ainda não li (acho eu,é porque já li tanta coisa que às vezes não me recordo)*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este é o último dela, TIL, de modo que é provável que realmente não o tenhas lido.

      Bem-vinda!

      Eliminar
  10. Li e tenho varios livros da Isabel, o meu gosto pela sua escrita deveu-se ao facto de ler o "Paula" livro escrito para a sua filha que estava em coma, marcou-me imenso porque li no 1º verão após a morte do meu marido. Tenho "A soma dos Diias" o "De Amor e de Sombra" "Casa dos Espiritos" "Afrodite" "Filha da Fortuna" e mais que não recordo, só vendo, foram todos oferecidos pela irmã do meu marido.

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também achei Paula um livro muito marcante, FLOR DE JASMIM, até porque a morte de uma filha (ou filho) é algo "contra-natura". E também foi o primeiro que li... ;)

      Beijinhos

      Eliminar
  11. Este também já li. Não será dos meus preferidos mas também não desgostei assim tanto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, talvez por gostar tanto de policiais seja mais exigente que a maior parte das pessoas nas suas congruências (e incongruências), LUISA... :)

      Eliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)