domingo, 30 de março de 2014

PARE, ESCUTE, OUÇA

Esta semana praticamente não vi telejornais, como aliás vem acontecendo cada vez com mais regularidade. São tantas más notícias e disparates governamentais (ou da oposição!) e entrevistas a só servirem para os entrevistados se auto-vangloriarem, que o resultado é absolutamente deprimente. 

Mas claro que não vivendo numa redoma, com as redes sociais a funcionarem em pleno e outros programas de informação televisivos, não me escaparam o aumento da pobreza no nosso país, segundo os últimos dados do INE, ou a população de pouco mais de 6 milhões prevista para o ano de 2060, se as políticas de apoio à natalidade (que não existem, realmente!) e a emigração continuarem neste rumo. A questão já não é a das raízes que nos prendem ao país onde nascemos, mas de pura sobrevivência.

Para descontrair, na semana passada ainda tentei ir ao cinema ver uma comédia - "Fim de semana em Paris" - mas o filme era tão... tão... pouco comédia, mais dramático e incongruente do que outra coisa, que a tentativa de animar falhou redondamente. Para nem me apetecer escrever sobre o filme no blogue, estão a ver...

Companhia assídua e calmante tem sido José Duarte que, com este triplo CD, me tem dado mais do que "Cinco minutos de jazz", já que para comemorar os 45 anos do seu programa de rádio - iniciado a 21 de fevereiro de 1966 - inclui 45 temas musicais dos mais variados artistas.

E conta ele que quando o programa começou na Rádio Renascença (atualmente dá na Antena 1 da RDP), com cobertura nacional e internacional, lhe chegaram as "primeiras mensagens apócrifas" que o classificavam como:
- amante de batuques
- racista
- apreciador da cultura dos pretos que punham em risco a unidade nacional.  
E o jazz não era "proibido" antes do 25 A, faria se fosse...

Obrigada, José Duarte, e continua com essa boa "carolice" jazzística!

Como não podia deixar de ser, fica também uma das suas músicas escolhidas, via YouTube - "My Baby Just Cares For Me", na voz de Nina Simone. São é apenas 3m e 43s, não os tais Cinco:


Imagem da FNAC.

26 comentários:

  1. Bom de ouvir...mesmo. E porque não cantar também, já que quem canta seus males espanta. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ouçamos e cantemos então, LUISA! :)

      Eliminar
  2. Teresa esses 3 CD que possuo e fazem as minhas delícias, de cada vez que os ouço. Andei com eles a publicá-los no Blogue, as várias músicas que tinham videos no Youtube.
    Obrigado José Duarte e Obrigado Teresa por me recordares de novo esta grande intérprete do jazz, Nina Simone é soberba. Aqui Nina Simone e uma animação sobre o mesmo Tema Musical

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Primeiro que tudo, obrigada pelo teu link, RICARDO, do qual gostei imenso! :)

      Os 3 CD têm realmente músicas fantásticas, escolhi esta por ser jazz vocal (o que normalmente prefiro), da Nina Simone e por ser bastante alegre. Isto porque por vezes o jazz tem uma melancolia que lembra o fado... ;)

      Mas já tinha reparado que também és grande fã de jazz! :)

      Eliminar
    2. De há alguns anos a esta parte, penso que na década de 80, comecei a ouvir Jazz. Acho que já foi tarde !
      O Rock e Pop só me disse alguma coisa, com honrosas excepções entre 65 e 75. De resto ouço tudo o que me agrada, desde Clássica até MPP. A música faz parte integrante da minha vida.

      Eliminar
    3. Também foi por essa época que comecei a ouvir jazz, RICARDO, já que antes disso era muito influenciável pelas "modas" musicais que os amigos de liceu ouviam... :)

      Oiço mais jazz, blues e MPB do que qualquer outro tipo de música, o que não quer dizer que não goste de mais nada. Só não vou à bola com RAP ou música de câmara, de resto depende dos temas em si... ;)

      Eliminar
  3. E como eu gosto de Nina Simone!
    Obrigada!
    A mim não me apetece escrever sobre nada! .(

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso não conheço muito bem a música da Nina Simone, ROSA, ou muitas vezes só em versões cantadas também por outros artistas. Mas esta parece-me a "cara" dela...

      Esses "bloqueios" têm dias... ;)

      Abraço

      Eliminar
  4. fantástico, muito melhor que as noticias...

    ResponderEliminar
  5. Noutros tempos não perdia um mas, co o andar da vida fu-me desabituando. No entanto, rara é a noite em que não ouço um bocadinho de Jazz. A proposta que nos apresenta vai, de certeza, aumentar a minha CDTeca.
    Beijinhos e boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também tenho o hábito de ouvir um bocadinho de jazz quase todas as noites, CARLOS! Mas rádio é raro ouvir, de modo que estas 3 "pérolas" em CD me souberam lindamente...

      O preço da "proposta" até é bastante tentadora, a custar menos de 8 euros! Mas quem a descobriu até foi o maridão... :)

      Beijocas

      Eliminar
  6. Fabuloso, Nina Simone gosto muito, sei que as noticias também são necessárias de ouvir!

    Boa semana Teté

    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, FLOR DE JASMIM, mas ouvindo apenas os comentários ao que disseram, escuso de ver as caras deles a entrarem-me casa adentro, sem serem convidados... Ainda bem que gostaste da Nina Simone!

      Beijocas floridas!

      Eliminar
  7. Um, dois, três, quatro, cinco minutos de jazz.
    Inesquecível!!
    Beijocas e votos de boa semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É difícil esquecer o atual programa mais antigo da rádio portuguesa (segundo li aí algures), PEDRO! :)

      Beijocas

      Eliminar
  8. ~ ~ ~ Gosto muito de jazz com piano. ~ ~ ~
    Também gosto com Sax, mas depressa me cansa.

    ~ ~ ~ ~ Beijinhos para ti e teu "baby"~ ~ ~ ~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. MAJO, os meus conhecimentos musicais são muito reduzidos, normalmente só sei dizer se gosto ou não. Portanto, não sei distinguir as diversas formas de jazz, mas de um modo geral aprecio mais o vocal, com piano ou sax. Mas sei que há um mais roqueiro, com muita bateria, que é o que gosto,menos - muito barulhento! ;)

      Beijinhos!

      Eliminar
  9. Grande Grande José Duarte!
    E aqueles "1, 2, 3, 4, 5 minutos de jazz..." que deixavam (me deixavam) "com água na boca" e que acabavam tão depressa...

    Beijokas ao som de jazz e de sorrisos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É precisa muita "carolice" para fazer um programa destes quase ao longo de 5 décadas, mas José Duarte está realmente de parabéns, KOK! E as suas escolhas fantásticas... :)

      Beijocas com jazz e sorrisos!

      Eliminar
  10. Adoro esta música que além de linda dispõe bem!
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também a escohi por ser alegre e contribuir para a tal boa disposição, PAPOILA! :)

      xxx

      Eliminar
  11. Nao consegui ouvir. Vou tentar no youtube.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No YouTube deves conseguir, CATARINA, embora encontrasse algumas destas versões bloqueadas. Nem sei porquê...

      Eliminar
  12. Tal com dantes, ainda hoje, e ao contrário do que se faz lá “fora”, a nossa rádio teima em não incluir o jazz na sua programação. José Duarte lá conseguiu o seu programa com a tal extensão que mais lembra a de um anúncio. Felizmente que hoje em dia o problema resolve-se com um IP Radio. Durante muitos anos fui um fiel e pontual ouvinte e também não é de esquecer a sua colaboração naquele que chegou a ser considerado um dos melhores festivais de jazz, Cascais.
    O jazz não era proibido, mas “eles” andavam por lá... Charlie Haden foi preso em 1971 após ter dedicado a música “Song for Che” aos revolucionários de Angola, Guiné e Moçambique que lutavam pela independência, depois duma atuação no Jazz Cascais.
    Boas audições!
    E beijinhos!

    ResponderEliminar
  13. É, também acredito que a maior parte das pessoas não é grande apreciadora de jazz, precisamente por causa disso, TANO. Ou de música clássica, que normalmente só dá em canais vocacionados para o efeito. Dito isto, praticamente não oiço rádio: chateia-me por ser tão repetitiva, há músicas e grupos de que gostava e enjoei completamente!

    E claro que o contributo de José Duarte não se esgota neste triplo CD, mas não era de todo minha ideia referir toda a sua carreira profissional. Foi apenas um mero apontamento musical, que vale a pena ser ouvido com mais atenção, no meu entender! :)

    É, em 1971, nem outra coisa seria de esperar de um tema com esse título e dedicado aos revolucionários... ;)

    Beijocas e boas audições também por aí!

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)