segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

A MINHA ORQUÍDEA...

Nos últimos meses têm-me oferecido muitas lembranças: livros, CDs, imãs para o frigorífico, marcadores de livros, até uma caixinha com batons para os lábios com sabores. Mas uma das primeiras foi mesmo um vaso com orquídeas em botão. Por essa época estava um bocado fracota, cuidei que alguém se lembrasse de tirar o slofan envolvente e regasse a planta. Tal não aconteceu e assim uns tempos depois fui dar com a planta na mesa da cozinha, mas tal e qual me tinha chegado às mãos - nem água, nem laço ou slofan tirado. 

Tinha um papelinho com os cuidados necessários para cuidar da dita, mas nem mesmo seguindo todos os passos consegui evitar que todos os botões caíssem. Verdade seja dita, dizia que devia ser regada de 5/7 em 5/7 dias, coisa que a minha empregada declarou ser demasiada água, já que também tinha orquídeas destas e só as regava de 15 em 15 dias. Mas lá ficou a pobre coitada toda depenada, à espera de melhores dias...

Até que um dia destes uns tímidos botões começaram a surgir e, este fim de semana, a primeira orquídea deu o ar da sua graça. Calhou bem, que o fim de semana foi uma desilusão pegada - nem jantar caseiro do Dia dos Namorados, o Clube de Leitura foi adiado para outra data, nem cinema, nem uma voltinha - e a nova orquídea foi uma fonte de animação. Como quem diz, amanhã é outro dia.

Carpe Diem!

14 comentários:

  1. Também eu precisava de uma orquídea para me animar.

    Desejo-te uma óptima semana com animação e alegria.

    ResponderEliminar
  2. Na crença chinesa é isso mesmo - é a Natureza a dizer que amanhã é outro dia.
    E que vai ser um dia melhor.
    Beijinhos e votos de boa semana

    ResponderEliminar
  3. Uma bonita orquídea, Teté. Cuida bem dela porque te vai alegrar os olhos e a alma.

    Também hoje olhei e toquei (pela primeira vez em semanas) para a orquídea que está na sala... ou melhor, o que resta dela. Nenhuma planta “se dá” na minha casa. Nem vasos de flores nem ervas aromáticas. Em Junho ofereceram-me uma orquídea. Prometi a mim mesma cuidar bem dela. Aconselharam-me a regá-la uma vez por semana. Até com chá! As pétalas começaram a cair uma a uma passado algumas semanas. Depois foi a haste que secou. Tinha quatro folhas e agora só tem duas. Deixei de a regar mas ali ficou. Hoje pensei que talvez fosse altura de a deitar para o lixo... mas as folhinhas que restam ainda estão verdes. Que dilema! : )
    Não tenho mesmo sensibilidade para cuidar de flores! : )

    Fico a olhar para esta tua bela orquídea e imagino como ela te vai animar!

    ResponderEliminar
  4. Essa tua orquídea dá (-nos) uma enorme lição de resistência, sabes?

    Saibamos nós também resistir a este bando do Poder e arredores e a tudo quanto de mau se adivinha na Europa...

    Beijinhos e boa semana


    ResponderEliminar
  5. A tua orquídea resistiu persistentemente, pois sabia que um dia a sua primeira flor te ia fazer feliz. Ela soube qual seria o exacto momento!

    Quando a vi, antes de ler o texto, pensei que tivesse sido o presente do maridão, já que me lembrei do título de um velho filme, de cujo enredo nem sequer recordo. Apenas o nome me ficou na memória...
    " Orquídeas para Minha Esposa"...:)

    Um abraço e lembra-te, Teté: "Atrás de tempo, tempo vem" !!

    Janita:)

    ResponderEliminar
  6. A avaliar pelas que tenho em casa, parece-me que este ano não está a ser muito bom para as orquídeas ! :((
    Por esta altura costumo ter muitas, mas este ano apenas umas 3 "rebentaram !
    Essa tua tem "garra" ! ... Está a querer dizer-te alguma coisa !? rsrsrs

    ResponderEliminar
  7. É uma prova de que quem lha ofereceu o fez com muita amizade!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Como sabes (saberás?) eu sou muito prendado! (eheheeehhh). E então para as orquídeas...
    Bem, o que quero dizer é que cá em casa há um vaso com um ramo subdividido em três e que todos os anos "dá" mais de dez orquídias (roxas) e de pois parece que seca e no ano seguinte voltam as orquídeas, sempre mais de dez.
    Esta "peregrinação" já dura há mais de cinco anos, por isso...
    Nada disto tem interesse (para além da particularidade floral) porque o que importa é que essa orquídea meio esquecida te alegre os dias e te recorde que depois de um dia outro dia vem e que depois deste outro virá.
    Na impossibilidade física de o fazer, deixo-te aqui um vaso plantado de beijos onde florescem sorrisos! ;))

    ResponderEliminar
  9. Que sorte! A tua que tiveste uma orquídea e a dela por ter uma cuidadora tão boa que a fez florir! A mim já me ofereceram mais do que um vaso de orquídeas dessas coloridas e eu... acabo por deixá-las morrer...

    Beijinhos e boa jardinagem!

    ResponderEliminar
  10. ~ A tua orquídea é belíssima. Bom gosto tem, quem a ofereceu.
    A Janita tem razão quando diz que ela dá um lindo exemplo de resistência.
    Gostaria de te dar um fragrante vaso de coloridas frésias, pelo que registo a intenção, à semelhança do Kock,
    ~ Abraço. ~ Coragem, querida amiga. ~

    ~ ~ ~ Carpe Diem! ~ ~ ~

    ~ ~ ~ B e i j o c a s. ~ ~ ~


    ResponderEliminar
  11. As minhas orquídeas de rua na santa terrinha estão esplendorosas...mesmo assim não consegui inspirar-me este fim de semana!
    A que tenho aqui em Lisboa está para o fraquito!
    Que a tua orquídea seja uma metáfora na tua vida!

    Abraço

    ResponderEliminar
  12. Também tenho uma cujos botões devem estar quase, quase a abrir. :)

    ResponderEliminar
  13. Obrigada a todos pelos comentários, troca de informações florais e desejos de boa disposição. Que retribuo (os desejos de boa disposição, claro!) :)

    Beijocas e abraços!

    ResponderEliminar
  14. Também tive uma que "viveu" lindíssima durante uns bons tempos, mas um dia "resolveu" esmorecer...

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)