segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

VAIS CONHECER O HOMEM DOS TEUS SONHOS

Não haverá muito a dizer sobre este último filme de Woody Allen, excepto que é divertido q.b. O que já é bastante, para aqueles, como eu, que não são grandes fãs do realizador/argumentista/actor. Que em "Vais Conhecer o Homem dos teus Sonhos" se limita aos dois primeiros papéis: os actores são outros!
Alfie (Anthony Hopkins) divorcia-se da mulher Helena (Gemma Jones) ao fim de 40 anos de casamento, o que a deixa muito deprimida. Sally (Naomi Watts), a única filha do casal, preocupa-se com a mãe, que após recorrer a vários psiquiatras acaba por "se tratar" com uma vidente (Pauline Collins), obtendo melhores resultados do que com os tratamentos médicos. Por seu turno, o marido de Sally, Roy (Josh Brolin), está a passar por uma fase negativa: apesar de ter publicado um livro, está com dificuldade em terminar o segundo e com receio deste não ser aprovado pela editora. O casamento do casal parece também estar a desmoronar, não só pelas dificuldades monetárias, como pelas frequentes visitas da mãe e sogra deprimida, que lhes tenta impingir as previsões futuristas da vidente e restantes teorias esotéricas, a par de um interesse cada vez maior de Roy pela deslumbrante vizinha da frente (Frieda Pinto) e de Sally pelo charmoso patrão da galeria de arte onde trabalha (Antonio Banderas). Só a vida amorosa de Alfie parece correr de vento em popa, de casamento marcado com uma actriz com metade da sua idade (Lucy Punch), com a qual pretende ter o filho que perdeu há muitos anos, o que também não agrada à filha, que vê na mulher uma prostituta ambiciosa a dar o "golpe do baú"...
Um enredo recheado de amores e desamores comuns, de solidão e da busca do companheiro ideal, dando a noção que raramente se volta para trás e que nem sempre as mudanças são para melhor. Num tom de comédia, o que torna os dramas vividos no ecrã mais leves. Nem por isso menos reais! 
Trailer já a seguir:


Acrescento ainda que gostei da música inicial e final.

Imagem do cartaz promocional do filme, da net.

10 comentários:

  1. eu acho piada ao Woody Allen. Não sou um fanático, vou vendo os filmes ao calhas - sem andar à procura deles - mas acho-lhe piada. O "tudo o que sempre quis sobre sexo mas teve medo de perguntar" é lindo. o "criminosos de bairro", excelente. mas em registo mais sério, o "Match Point" é extremamente elegante na forma como mostra o vileza humana.

    ResponderEliminar
  2. fiquei com uma duvida...
    o parceiro "buscado" é ideal para quê? :e

    ResponderEliminar
  3. Vou o quê! Conhecer o homem dos meus sonhos!!! Então é melhor nem lá ir :)]. Bem, cada realizador lá terá as suas extravagâncias e idiotices mas até que me divirto com os filmes do Woody Allen.

    ResponderEliminar
  4. Noutrs tempos, corria a ver uma estria do Woody Allen. Hoje, sinceramente, já não estou para aí virado.Mas, se tiver oportunidade, vou ver...

    ResponderEliminar
  5. Sabes Tété
    Como várias vezes já te disse sou um apaixonado por cinema, apesar de há uns anos a esta parte andar um pouco amorfo a esse lúdico passatempo, mas sem querer ser um velho do Restelo, nunca achei muita piada a Woody Allen. Até é pecado dizer uma coisa destas, pois o homem pode ser o dos meus sonhos. Assim eu veja as "coisas" que ele faz.
    Beijinho para ti!

    ResponderEliminar
  6. Sabes, MOYLITO, os primeiros filmes que vi de Woody Allen foram coisas como "Inimigo público", "O herói do ano 2000" e "Nem guerra nem paz", fiquei anos sem ver mais nenhum... :p

    Mas depois vi "A rosa púrpura do Cairo", "Radio days", "Match Point" e o do ano passado "Tudo pode dar certo" e gostei mais. Aliás, este último achei hilariante! São todos filmes em que ele não participa como actor. E este também se vê muito bem! Ou seja, para quem ele era um realizador de culto, a minha opinião não deve vingar - gosto dos mais recentes, não dos que o catapultaram para a fama! :D

    ResponderEliminar
  7. Companheiro ideal, VÍCIO, normalmente é para quase tudo! Já o parceiro, pode ser só para o Poker, por exemplo... :))

    ResponderEliminar
  8. Quem diz homem diz mulher, PAULOFSKI, não é preciso levar à letra... :)

    E sim, este filme é divertido q.b.! :D

    ResponderEliminar
  9. Pois, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA, suponho que ele amenizou um bocado as bastas doses de puro non-sense e os longos monólogos. Pessoalmente, prefiro-o agora... ;)

    ResponderEliminar
  10. Também não achava piada nenhuma, KIM, mas mesmo assim, embora ele continue com algumas das suas "pancadas", suponho que refinou um bocado o humor com o tempo. Opiniões, está claro! :)

    Beijinhos!

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)