segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

APANHADOS NA REDE

Em cena até dia 30 de Janeiro no Auditório dos Oceanos do Casino de Lisboa, a peça "Apanhados na Rede", de autoria do inglês Ray Cooney e encenada por Fernando Gomes e pelo malogrado actor/encenador António Feio, conta com um naipe de artistas bem conhecidos do grande público: José Pedro Gomes, Jorge Mourato, Cláudia Cadima, Sónia Aragão, João Maria Pinto, Joana Estrela e Eduardo Frazão.
João é um taxista lisboeta com a particularidade de ter duas famílias - Maria e a filha Joana vivem no Dafundo, enquanto Ana e o filho Diogo vivem nos Prazeres. Tudo decorre sem percalços até que os filhos adolescentes se conhecem via facebook e marcam um encontro. Simão Horta, hóspede e amigo de longa data que conhece o seu segredo, está de partida para umas férias na Carrapateira com o pai senil, mas João precisa do seu auxílio para impedir o encontro dos dois jovens. As peripécias e as mentiras sucedem-se a um ritmo alucinante, o que mantém o público atento e na expectativa até ao final: será que as mulheres e os filhos de João vão descobrir o seu segredo? Tchan, tchan, tchan, tchan...
A hilariante comédia promete (e cumpre!) muitas gargalhadas e momentos de boa disposição - Jorge Mourato  faz um papelão, sem desprestígio para os restantes actores - e também subirá aos palcos do Coliseu do Porto, nos dias 23 a 26 de Fevereiro. Não é garantido é que ainda existam bilhetes à venda,  pois fui ver no Sábado passado e a sala estava apinhada de gente, mesmo que a estreia já tivesse sido em Outubro, o que de alguma forma parece ser sinal que os portugueses se estão a reconciliar com o teatro. Certo é que, no final, os actores foram aplaudidos de pé!

Imagem da net.

16 comentários:

  1. quando os textos são bons, os portugueses aparecem (acho eu). mas novamente, Lisboa e Porto. Aqui também vive gente... mas deixa lá, que a culpa não é tua :)

    ResponderEliminar
  2. Vou ver neste Sábado, logo te direi se concordo ou não com a apreciação! Beijocas!

    ResponderEliminar
  3. Eu costumo dizer que o melhor que Lisboa tem é a estação de S.ta Apolónia, a Gare do Oriente ou a Portagem de saída da auto-estrada para o Porto, mas nisto de Teatro tenho que dar o braço a torcer. O Porto é uma parvónia !
    Lá vem uma coisa ou outra de longe a longe e durante um dia ou dois ! ... e depois ? ...onde se ganha o hábito pelo Teatro ? Isto para não falar em todas as outras formas de expressão artística !
    .

    ResponderEliminar
  4. Um elenco prometedor. Obrigado pela dica. Vou tentar ver.

    ResponderEliminar
  5. Há, háPara o Coliseu do Porto ainda há bilhetes à venda. Ontem mesmo comprei dois e estou ansioso para ver esta peça.

    ResponderEliminar
  6. Ainda bem que estás atenta ao que se passa no mundo do espectáculo.
    Às vezes, passam-nos ao lado as mais belas peças e nem damos por isso.
    E, o que é nacional ... é bom!
    Beiijinho Tété

    ResponderEliminar
  7. Houve um tempo em que não apareciam nunca, MOYLITO, nem quando o texto era bom. Dado o muito teatro experimental que se fez a seguir ao 25A, que não era do gosto do grande público, que nem o entendia... :p

    Suponho que o La Féria, por um lado, e António Feio e José Pedro Gomes, por outro, conseguiram dar a volta ao texto! E ainda bem! O que também abriu as portas de outro tipo de teatro, o interactivo, que também já tem os seus adeptos... :))

    E óbvio que não é culpa minha. Mas suponho que, apesar da reviravolta, ainda muitos grupos lutam com dificuldades para pôr uma peça no palco...

    ResponderEliminar
  8. Acho que vão gostar, RAFEIRITO! :D

    ResponderEliminar
  9. Tá-se, não tá, REIZÃO?! :))

    ResponderEliminar
  10. É engraçado que o meu marido costumava dizer o mesmo, da auto-estrada, mas no sentido inverso, RUI! Enfim, na verdade ia para lá em trabalho (e às vezes ainda vai), o que significava levantar-se de madrugada, ir, trabalhar, e voltar a Lisboa, normalmente tarde ou tardissimo! ;)

    Também há aqui algumas peças que estão muito poucos dias em cartaz! Mas é verdade que nos últimos tempos tem havido mais escolha, que houve uma altura em que as salas de teatro eram poucas e estavam às moscas... :P

    ResponderEliminar
  11. Como digo, CARLOS BARBOSA DE OLIVEIRA, não sei se ainda há bilhetes... ;)

    ResponderEliminar
  12. Também acho que vais gostar, PAULOFSKI! :))

    Mas bilhetes para Lisboa não sei não, que quando comprei (com antecedência de cerca de 15 dias) tive de andar à cata de dois lugares juntos na sala... OK, queríamos ir num Sábado, que tem sempre mais afluência! :)

    ResponderEliminar
  13. Por acaso nem estou muito, KIM, no que concerne ao teatro. Nem imaginas as peças que me têm escapado, porque só sei que estão em cartaz nos últimos dias. Mas enfim, também não se pode ir a todas... ;)

    E sim, teatro, só nacional! Ou brasileiro! :D

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  14. Eu vi a peça anterior com um argumento semelhante e gostei
    http://lopesca.blogspot.com/2006/10/lazer-teatro-2-amores.html

    ResponderEliminar
  15. Lá está, LOPESCA, foi das tais que me escapou... ;)

    ResponderEliminar

Sorri! Estás a ser filmad@ e lid@ atentamente... :)